A Força das Atletas Shimano: Aline SImões e Brou Womens Team

09/03/2021
ALine-2

·        Nome completo: Aline Simões de Almeida

·        Tem apelido? (Ah, conta pra gente!) não

·        Idade: 29 anos

·        Onde mora? São José do Rio Preto, SP

·        Sonha morar em algum outro lugar um dia? Sim, algum lugar com mais mata, natureza, serra e que seja mais fresco, porque minha cidade é bem quente!

·        Como e quando a sua relação com a bicicleta ficou “séria”? Quando comecei a participar de competições e ganhar campeonatos. Comecei a perceber que a minha cobrança e das pessoas a minha volta aumentou. Entçao comecei a treinar mais e levar a bike mais à sério.

·        Como foi a 1ª competição? Foi em um rachão, na cidade onde morava, Penápolis, SP, com 15 mulheres. O prêmio era um frango assado. Ninguém imaginou que eu fosse ganhar e por isso, surpreendi todo mundo ao levar o frangão para casa. Fiquei feliz e orgulhosa de mim.

·        Queremos saber: um dos momentos mais marcantes na sua vida de atleta Um dos momentos mais marcantes foi o dia em que venci a prova de MTB nos Jogos Regionais e Penápolis. Estavam presentes amigos, familiares e eu vesti o uniforme da minha primeira equipe. Era meu primeiro ano como atleta e a conquista foi muito importante para mim, pois vi que tinha potencial para estar, futuramente, disputando com as melhores do País.

·        O que é “ser atleta” pra você? É um misto de privilégio e privações. É uma batalha diária e uma luta constante. É encara a dor e por vezes, conviver com ela para alcançar o melhor do seu corpo e da mente.

·        Qual foi seu melhor resultado na carreia até gora? Vice campeonato brasileiro de pista.

·        Sabemos que a rotina de treinos é intensa: conte-nos o que gosta de fazer no seu tempo livre? No meu tempo livre eu gosto de fotografar, curtir meus gatos e estudar tudo o que pode me ajudar a crescer, pessoal e profissionalmente.

·        Qual seu prato favorito? Você é vegana ou vegetariana? Meu prato favorito é arroz, feijão, ovo e salada! Não sou vegana nem vegetariana, mas gostaria de ser.

·        Quais seus objetivos para este ano e onde você quer chegar como ciclista profissional? Assim como 2020, já vimos que 2021 será um ano muito difícil para todos, inclusive nós atletas. Meu objetivo é manter a saúde física e emocional, sem perder o foco dos treinos e demais obrigações profissionais, para estar pronta assim que as competições voltarem. Durante essa pausa, meu objetivo é continuar trabalhando, inspirando e ajudando outras pessoas a iniciarem e crescerem no ciclismo, amador ou profissional. E, de alguma forma, fazer diferença positivamente, nesse momento socialmente tão complicado.

·        Qual foi o maior perrengue que já passou em uma prova ou um treino? O maior perrengue aconteceu recentemente. Fomos treinar em uma trilha de XCO. Fui atacada por abelhas e tomei várias picadas. Como sei que sou alérgica, fiquei bastante preocupada e tentei correr para buscar ajuda. O problema é que não conhecíamos direito o lugar e ficamos perdidos, andando em círculos na trilha, até achar um grupo de motociclistas que nos guiaram até a saída. Por sorte, ou providência divina, um deles também era alérgico e me deu o seu remédio para amenizar os sintomas. Como as picadas não foram muitas, o perrengue acabou ficando só no susto e nas marcas das picadas!

·        O que a bicicleta te deu e o que ela representa na sua vida? A bicicleta me deu uma oportunidade e eu a agarrei. Hoje sou outra pessoa e tenho a vida que sonhava quando comecei. Já tenho novos sonhos e planos, os quais estou lutando para alcançar. A bicicleta representa para mim a mudança de vida que o esporte, de um modo geral pode proporcionar de diversas maneiras. Ela é minha ferramenta de trabalho e meu lugar de descanso, é meu tormento e meu divã. Nela encontro a força para as competições e a paz nos momentos de passeio e descontração.

·        Hoje vemos muito mais mulheres andando de bike: o que você diria para quem está pensando em começar a pedalar? O esporte é vida. E o ciclismo talvez seja a modalidade que consegue oferecer o maior volume de benefícios do esporte. Desde a saúde física até o desenvolvimento de amizades, o prazer de poder contemplar a natureza. Portanto, para quem está pensando em começar a pedalar, o que digo é: “só vai!”

Pra fechar: dizem que “a bicicleta empodera as mulheres”. Qual a sua opinião? 

perfilamanda

·        Nome completo: Amanda Piovesan Ucci - Equipe Brou Women's Team Caloi

·        Tem apelido? (Ah, conta pra gente!) Amandinha, Amandita

·        Idade: 38 anos

·        Onde mora? Belo Horizonte

·        Sonha morar em algum outro lugar um dia? Só se tiver montanha, rsrs!

·        Como e quando a sua relação com a bicicleta ficou “séria”? Sempre usei a Bike como meio de transporte, mas a relação ficou "séria" quando entrei para a  família Brou. Não posso fingir não! E bora treinar que está todo mundo treinando!

·        Como foi a 1ª competição? Foi uma prova de xco. Quase não tinha habilidade em partes técnicas, somente eu de mulher na categoria, fui meio perdida, morrendo de medo, mas fui. No meio da prova o pneu furou, estava prestes a desistir quando ouvi: "se você terminar a prova te dou um pneu tubeless ready. Vai sô, termina a prova, faz isso por mim, por favor". Era o Brou. Como é que finge? Terminei a prova carregando a bike nos braços e um sorrisão no rosto.

·        Queremos saber: um dos momentos mais marcantes na sua vida de atleta: nunca imaginei estar em uma equipe, principalmente uma equipe de mulheres. Fazer parte de uma equipe feminina com o objetivo de incentivar outras mulheres a pedalar, ver que outras mulheres saíram do sofá, que perderam o medo e que tive um papel nisso, é melhor que qualquer pódio.

·        O que é “ser atleta” pra você? Ser atleta não é apenas treinar e competir. É ter responsabilidade com a escolha feita. Responsabilidade com os treinos, cuidado com os equipamentos, compromisso com as marcas envolvidas. É exercer a cidadania e cumprir meu papel na sociedade.

·        Qual foi seu melhor resultado na carreia até gora? Campeã Troféu Rei da Montanha, Dupla Mista Campeã Sertão Diamante, Dupla mista campeã Adventure Camp

·        Sabemos que a rotina de treinos é intensa: conte-nos o que gosta de fazer no seu tempo livre: gosto de pedalar sem compromisso, levar os cachorros para passear no mato, remar, escalar, viajar...gosto de estar em contato com a natureza.

·        Qual seu prato favorito? Você é vegana ou vegetariana? Batata frita, haha! Não sou vegetariana mas também não estou muito  longe de ser.

·        Quais seus objetivos para este ano e onde você quer chegar como ciclista profissional? Meu objetivo é superar desafios, colocar meus limites um passo adiante. Não sou ciclista profissional mas trabalho por uma evolução constante para não permanecer sempre no mesmo lugar.

·        Qual foi o maior perrengue que já passou em uma prova ou um treino? Uma vez, durante um treino, demorei mais de 2h em um trecho de apenas 1km "rasgando mato". Foi mais exaustivo que muita prova dura que já fiz, rsrs.

·        O que a bicicleta te deu e o que ela representa na sua vida? A bicicleta trouxe para perto de mim pessoas super especiais e lugares fantásticos. Pra mim a bike representa bem estar e felicidade.

·        Hoje vemos muito mais mulheres andando de bike: o que você diria para quem está pensando em começar a pedalar? Coloca o capacete, óculos, luva e bora ser feliz!

perfilfernanda

·        Nome: Fernanda Amaral Fernandes

·        Apelido: Nanda, Fé, Bocão

·        Idade: 37 anos

·        Onde mora: Varginha

·        Sonha morar em algum outro lugar um dia? Voltar para Bh

·        Como e quando a sua relação c a bike ficou “seria”: foi natural... comecei a pedalar e em poucos meses já comecei a competir.

·        Como foi a primeira competição: foi muito divertida e sofrida. Foi na cimtb em Congonhas e já peguei pódio.

·        Um dos momentos mais marcantes da sua vida de atleta: quando fui convidada a integrar a equipe mais brutal do planeta: brou Women’s Team

·        O que é “ser atleta” pra vc? Para mim ser atleta é ser mais consciente em todos os sentidos. É ter a certeza do poder da minha mente sobre o meu corpo. É ser muito mais feliz e forte.

·        Qual foi o melhor resultado na carreira até agora? Ser bicampeã da ultra Brou na cat dupla feminina, bicampeã iron biker dupla mista e bicampeã sertão diamante dupla mista (todos ao lado do meu irmão).

·        O que gosto de fazer no tempo livre: viajar para pedalar em outros lugares e comer.

·        Qual seu prato favorito. Vegana ou vegetariana. Churrasco e massa.

·        Objetivos: ultrapassar meus próprios limites e honrar o manto que eu visto com tanto amor e orgulho.

·        Maior perrengue que já passei em uma prova ou treino: são vários... mas o maior/pior foi quando um caminhão me pegou andando de speed sozinha... dei muita sorte e só tive ferimentos leves. Foi em 2018 e o motorista não deu socorro.

·        O que a bicicleta me deu e o que ela representa na minha vida: A bike me fez ver a vida de forma completamente mais ampla. Sou muito mais alegre e grata. As amizades que fiz a partir da bike, mudaram meu caminho. Então a bike representa minha felicidade verdadeira. Não me vejo sem.

·        O que eu diria para quem está começando a pedalar. Diria para serem persistentes pois todas nós somos brutas. Eu acredito fielmente na força da mulher e minha alegria se multiplica em saber que cada vez mais, elas estão acreditando em si mesmas através da bike. O mundo é mais bonito assim! 🚵🏻‍♀️🙏🏻💪🏼✊🏼

perfijussara

·        Nome completo: Jussara Cardoso Natalino

·        Tem apelido? (Ah, conta pra gente!) Jú

·        Idade: 33 Anos

·        Onde mora? Belo Horizonte/Minas Gerais

·        Sonha morar em algum outro lugar um dia? Por enquanto, Não! Rsrs

·        Como e quando a sua relação com a bicicleta ficou “séria”? Desde 2013 quando o Brou me levou numa competição de MTB. Participei e gostei da experiência, e continuei aprimorando para participar de outras.

·        Como foi a 1ª competição? Um misto de sensações e uma vontade muito grande de me superar. Vi nessa experiência o quanto podemos ser melhores todos os dias, com dedicação e persistência.

·        Queremos saber: um dos momentos mais marcantes na sua vida de atleta. Por incrível que pareça o meu momento mais marcante foi exatamente a minha primeira competição de MTB onde eu competi na categoria “masculina” (sub-30) e dentre 16 participantes cheguei em 9* Lugar. Isso aconteceu por causa de um erro na ficha de inscrição e na prova não havia outras mulheres, eu era a única ali ; o erro foi visto só depois de ter concluído a prova.  É claro que logo após a organização corrigiu o erro e eu fui retirada da categoria, mas eu insisti em ficar com o troféu de 9 lugar Masculino ao invés do 1 Lugar geral Feminino. Sem dúvidas um dia marcante na na minha história!

·        O que é “ser atleta” pra você? Se dedicar a uma meta para superar os próprios limites e abdicar muitas vezes de outras escolhas para tornar esse sonho uma realidade.

·        Qual foi seu melhor resultado na carreia até agora?

•Campeã Geral Canastra Brou Experience/2020;

•Campeã Mineira de MTB 2019- Categoria  Master A ;

•Campeã Mineira de Ciclismo de Estrada 2019 -Categoria Master A;

•Campeã da Copa 4Ride - 2019

•Campeã Copa Vale do Aço de Maratona- 2019;

•Campeã Desafio Entre Serras/ Maratona - 2019;

•Campeã Desafio Brou Bruto de MTB e Trail Run- Ouro Preto /2017 (Categoria Sub-30) ;

•Dentre outras em esportes diferentes.

·        Sabemos que a rotina de treinos é intensa: conte-nos o que gosta de fazer no seu tempo livre. Gosto de ler e assistir séries.

·        Qual seu prato favorito? Você é vegana ou vegetariana? Amo Peixe e salada! Qualquer receita que tenha “peixe” já é o meu prato favorito.

·         Quais seus objetivos para este ano e onde você quer chegar como ciclista profissional? Em um momento de muitas restrições devido à Pandemia e o calendário de provas adiado , aproveitei para me dedicar aos “pontos fracos” da minha performance e aprimorar minha técnica. Como não me dedico ao esporte como algo “profissional” não construí planos em cima disso; sou atleta amadora e me esforço para ter bons resultados dentro desse contexto .

·        Qual foi o maior perrengue que já passou em uma prova ou um treino? Certa vez em uma competição (por sinal muito chuvoso), sofri uma queda expressiva no km35’ e restavam 40km para a chegada; estava indo bem e era a primeira geral (feminino) mas com a queda vi todas as outras passarem por mim, ficando em último. Lembro-me perfeitamente de uma dor muito forte nos joelhos, mas não deixei isso me vencer e conseguir alcançar uma boa posição sendo Campeã da prova. O que ficou na memória mesmo foi a minha emoção de conseguir subir no degrau mais alto do pódio com a ajuda de 2 pessoas pois não conseguia andar e dobrar os joelhos que já estavam bem inchados. Um misto de dor e superação!

·        O que a bicicleta te deu e o que ela representa na sua vida? De todos os benefícios que eu poderia enumerar aqui, a COMPANHIA que ela me trás e a sensação de liberdade encabeça essa lista. Sempre tive a bicicleta como meio de locomoção (também) e acredito que esse benefício me ajuda em vários aspectos. Sem dúvidas a bicicleta mudou a minha maneira de encarar a vida e o meu olhar sobre a minha própria saúde física e mental.

·        Hoje vemos muito mais mulheres andando de bike: o que você diria para quem está pensando em começar a pedalar? Com certeza um meio de se descobrir e se tornar mais confiante, exatamente pela sensação de bem-estar e por ser uma maneira divertida de cuidar da própria saúde física e mental. A ideia de estar mais próximo de outras pessoas e fazer novas amizades traz muitos benefícios sociais também. As dicas começam pela procura de uma bicicleta adequada ao tamanho, de estar sempre acompanhada de alguém que a leve em lugares propícios para a prática sem deixar de explicar a importância dos equipamentos obrigatórios.